Um estudo sobre as opiniões de consumidores não especializados, no município de São Paulo, acerca da utilização do software livre e do software proprietário

Mauro Neves Garcia, Mônica Menkaitis Bressan, Dirceu da Silva
DOI: https://doi.org/10.5329/RECADM.20090802001

Texto completo:

Artigo

Resumo

O objetivo deste estudo foi construir uma escala de atitudes para analisar as opiniões sobre o software livre e o software proprietário, bem como analisar a opinião de alunos de Instituição de Ensino Superior (IES) acerca da utilização do Software Livre (SL) e do Software Proprietário (SP), duas modalidades de softwares representativas no mercado de tecnologia da informação. Para conduzir este estudo foram realizados revisão bibliográfica e levantamento de campo com 400 entrevistados, por amostras de julgamento, os quais forneceram subsídios e modelos teóricos para comparar esses dois tipos de software. Dessa forma, foi possível identificar nove fatores de comparação entre o SL e o SP, a partir da opinião dos alunos dos cursos de Administração, Ciências Contábeis e outros, que conheciam os dois tipos de softwares, porém não eram especialistas no assunto e estavam estabelecidos no município de São Paulo. Os resultados gerais apontaram vantagens para o Software Livre em relação ao Software Proprietário. A revisão bibliográfica e o levantamento de campo permitiram a identificação de algumas discrepâncias entre opiniões de autores e alunos, que pode ser explicada pela tendenciosidade das obras consultadas e também pela preferência compartilhada dos alunos da amostra por um tipo de software ou outro.

 

 

 

 


Palavras-chave

Comportamento do consumidor; Software Livre; Software Proprietário


Referências


ALENCAR, A. F. A pedagogia da migração do software proprietário para o livre: uma perspectiva freiriana. 165 f. Dissertação

(Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2007.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE SOFTWARE – ABES. Mercado brasileiro de software. São Paulo, 2009. 8 p. Disponível em . Acesso em: maio 2009.

CENTRO DE ESTUDO SOBRE AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO – CETIC. Tipo de sistema operacional utilizado – computador de uso principal. 2008. Disponível em:

. Acesso em: março 2009.

DIDIO, L. Yankee group report. Infra-estrutura de aplicação & plataformas de software. Boston. Abril, 2005.

ENGEL, J. F; BLACKWELL, R. D.; MINIARD, P. W. Comportamento do consumidor. 9. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

EUROPEAN WORKING GROUP ON LIBRE SOFTWARE. Free software/open source: information society opportunities for Europe? Abr. 2000. Disponível em:

. Acesso em: fev. 2007.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

HAIR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HEXSEL, R. A. Software livre. Propostas de ações de governo para incentivar o uso do software livre. RT-DINF 004/2002. Curitiba:

Universidade Federal do Paraná - Departamento de Informática, 2002.

ITDATA. Software Livre é utilizado por 73% das maiores empresas do país. 2008. Disponível em:

.

Acesso em: fev. 2009.

IWASAKI, E. Y. movimento open source: a importância da comunicação e da relação entre empresas e comunidades para o mercado 2008. 41 f. Monografia (Especialista) - Curso de

Marketing, Faculdade de Comunicação Social Cásper Libero, São Paulo, 2008.

KRISHNAMURTHY, S. Cave or community? an empirical examination of 100 mature open souce projetc. First Monday, 2002. Disponível em:

namurthy/>. Acesso em: maio 2008.

MOON, J. Y; SPROULL, L. Essence of distributed work: the case of the Linux Kernel. First Monday, v.5, n. 11, Nov 1999. Disponível

em:

. Acesso em: jun. 2007.

NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E COORDENAÇÃO DO PONTO BR – NIC. BR. Menos de um quinto das casas brasileiras têm Internet. Disponível em:

htm>. Acesso em: maio 2009.

RAYMOND, E. S. The cathedral and the bazaar. Sebastopol: O’Reilly, 1999.

SALEH, A. M. Adoção de tecnologia: um estudo sobre o uso de software livre nas empresas.

149 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Ciências Econômicas, Departamento de Pós Graduação em Administração, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da

Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

SANTOS, C. D.; GONÇALVES, M. A. Análise da substituição de um software proprietário por um software livre sob a ótica do custo total de propriedade: estudo de caso do setor de peças

automobilísticas. Revista Contemporânea em Contabilidade, Florianópolis, v. 3, n. 6, p. 39-60, 2006.

SILVEIRA, S. A. Comunicação digital e a construção dos commons. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2007.

SOLOMON, M. R. O comportamento do consumidor: comprando, possuindo e sendo. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2002.

TONG, T. W. Programa de informação para o desenvolvimento Ásia-Pacífico. Manuais eletrônicos sobre softwares livres de Fonte

Aberta. Kuala Lumpur: PNUD- APDIP /Elsevier,2004.

VILLATE, J. E. O software livre no ensino superior. In: ENCONTRO SOFTWARE LIVRE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Lisboa. Anais...

Lisboa, Ministérios da Justiça, da Educação e da Cultura, 2006.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.