LUTAS E URDIDURAS ENTRE A CIDADE E A FLORESTA: o “fazer-se” da Educação em Melgaço-Pa

Agenor Sarraf Pacheco

Texto completo:

PDF

Resumo

Explorando narrativas orais alinhavadas no corpo-a-corpo com moradores de Melgaço, no Marajó das Florestas-Pa, documentos escritos captados em arquivo público municipal e diagnósticos educacionais oficiais produzidos, na última década, sobre a realidade melgacense, o texto acompanha experiências vivenciadas por populações locais em territórios da cidade e da floresta, em torno do processo que forjou, entre lutas e urdiduras, a escolarização do município a partir de 1950. No reencontro com as difíceis lembranças reconstruídas pelos antigos alunos quando experimentaram as contradições e exclusões gestadas pelo sistema educacional paraense e as persistentes imagens das dificuldades para se construir uma presença efetiva da escola em ambientes urbanos e rurais, esta produção escrita conclui apontando uma solução para enfrentar as problemáticas vividas atualmente, especialmente pelos professores ribeirinhos leigos: a implantação de um projeto de pesquisa e intervenção social sobre identidades docentes e práticas de leitura com narrativas orais marajoaras.   

 

Palavras-chave: história; memória; educação.