GESTÃO DAS EMPRESAS MULTINACIONAIS E OS CONFLITOS DE AGÊNCIA

FELIPE MENDES BORINI, Eduardo Pozzi Lucchesi
DOI: https://doi.org/10.21529/RECADM.20070602007

Texto completo:

Artigo

Resumo

Tendo como pressuposto o arcabouço conceitual da teoria de agência e as estratégias das subsidiárias nas corporações multinacionais, este artigo teve um duplo objetivo. Primeiramente, verificar a existência de potenciais conflitos de agência entre a matriz e uma amostra de 118 subsidiárias de multinacionais estrangeiras instaladas no Brasil com base nas variáveis de controle: grau de comunicação da subsidiária com a matriz e grau de autonomia da subsidiária em relação à matriz. Em segundo lugar, verificar se as subsidiárias que apresentam potenciais conflitos de agência possuem uma performance financeira e estratégica inferior em relação àquelas que não apresentam tais conflitos. Após o procedimento de análise de cluster, análise discriminante e Anova, os resultados encontrados mostraram que em relação à performance financeira, as subsidiárias que apresentam potenciais conflitos de agência possuem uma performance inferior em relação ao crescimento das vendas e, em relação à performance estratégica, verificou-se que as subsidiárias que apresentam potenciais conflitos de agência possuem uma performance inferior no que se refere ao desenvolvimento de competências e cumprimento das metas ao longo dos anos de suas operações.

Palavras-chave

teoria da agência; performance financeira; performance estratégica; subsidiárias estrangeiras; corporações multinacionais


Referências


BARTLETT, C.A; GHOSHAL, S. Transnational Management. 2a. ed. Boston: McGraw-Hill, 1998.

BIRKINSHAW, J., HOOD, N., JONSSON, S. Building Firm-Specific Advantages n Multinational Corporations: The Role of Subsidiary Initiative. In: Strategic Management Journal, vol. 19, n.3, p. 221-241, 1998

BIRKINSHAW, J.; NOBEL R. Innovation in Multinational Corporations: Control and Communication Patterns in International R&D Operations. Strategic Management Journal, vol.19,n.5, p. 479-496,1998.

BIRKINSHAW, J. World Mandate Strategies for Canadian Subsidiaries. Industry Canada: working paper number 9, march, 1996b

CRESWELL, J.W. Research Design - Qualitative and Quantitative Approaches. London: Sage, 1994

EITEMAN, D. K.; MOFFETT, M. H.; STONEHILL, A. I. Administração Financeira Internacional. 9.ed. Porto Alegre: Bookman, 2002.

FREITAS, H.; OLIVEIRA M.; SACCOL, A.Z.; MOSCAROLA, J. O método de pesquisa survey. In: Revista de Administração. São Paulo, vol. 35, n.3, 2000.

FROST, T.; BIRKINSHAW, J; ENSIGN, P. Centers of Excellence in Multinational Corporations. In: Strategic Management Journal, vol.23, p. 997-1018, 2002. GAZETA MERCANTIL, Balanço Anual, 2002

GREENWALD, B. C.; STIGLITZ, J. E. Asymmetric information and the new theory of the firm: financial constraints and risk behavior. American Economic Review, v. 80, nº 2, p. 160-165, may. 1990.

HATCH, M.J. Organization Theory Modern, Symbolic and Post Modern Perspectives. Oxford: Oxford University Press, 1997

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, v. 3, nº 4, p. 305-360, oct. 1976.

MINTZBERG, H. Estrutura e Dinâmica das Organizações. Lisboa: Dom Quixote, 1995

MOORE, K. A Strategy for Subsidiaries: Centres of Excellence to Build Subsidiary Specific Advantages. In: Management International Review., vol 41, n. 3, p.275-290, 2001.

NOHRIA, N; GHOSHAL, S. (1997) The Differentiated Network: Organizing Multinational Corporations for Value Creation. San Francisco: Jossey-Bass Publishers, 1997.

O’DONNEL, S.W. Managing Foreign Subsidiaries: Agents of Headquarters, or an Interdependent Network? In. Strategic Management Journal, vol21, 2000, p.525-548

RODRIGUEZ, S. ; CHILD, J. Corporate Governance in International Joint Ventures: Toward a Theory of Partner Preference. In: XXVII EnANPAD. Anais Eletrônicos... Atibaia: ANPAD, Cd-Rom, 2003.

SHAPIRO A. C. Multinational Financial Management. 6.ed. New York: John Wiley & Sons, 1999.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.