Capital social na configuração de organização internacional em rede: estudo de caso da AUGM

Larissa Cristina Dal Piva Moreira, Sandro Aparecido Gonçalves, Edson Ronaldo Guarido Filho
DOI: https://doi.org/10.5329/RECADM.20121102009

Texto completo:

Artigo

Resumo

O presente trabalho emprega o conceito de capital social e como esse contribui na formação e evolução de uma rede internacional de universidades, por meio da análise de suas quatro dimensões em três momentos no tempo. O objeto escolhido para estudo de caso com abordagem qualitativa foi a Associação de Universidades Grupo Montevidéu (AUGM). Após análise dos dados, percebeu-se que, as relações interpessoais responsáveis pela sustentação da rede inter-universitária, gradativamente se institucionalizaram, permitindo-se falar em capital social organizacional.


Palavras-chave

Capital social; organização em rede; internacionalização de universidades


Referências


Asociacion de Universidades Grupo Montevideo (AUGM) (2006). 15 años de historia. Disponível em: . Acesso em: 10 Nov 2011.

Bourdieu, P. (1986). The forms of capital. In. Richardson, J.G. (ed.) Handbook of theory and research for the sociology of education (pp.241-258). New York: Greenwood Press.

Burt, R.S. (1992). Structural Holes: the social structures of competition. Harvard University Press.

Coleman, J. S. (1988). Social Capital in the Creation of Human Capital. American Journal of Sociology, 94, S95-S120.

Didriksson, A. (2006). La autonomia universitária desde su contemporaneidad. Universidades, 31, 3- 16.

Godoi, C.K. et al. (2006). Pesquisa Qualitativa em Estudos Organizacionais. São Paulo: Saraiva.

Granoveter, M. (1973). The strength of weak ties. American Journal of Sociology, 78(6), pp.1360-1380.

Granovetter, M. (1992). Problems of explanation in economic sociology. In.: Nohria, N. ; Eccles, R. (eds). Networks and Organizations: Structure, Form and Action. Boston, Mass: Harvard Business School Press.

Koka, B.R. & Prescott, J. (2002). Strategic alliances as social capital: A multidimensional view. Strategic Management Journal, 23, 795-816.

Lin, N. (2001). Social Capital: A Theory of Social Structure and Action. Cambridge: Cambridge University Press.

Monge, P.R. & Contractor, N.S. (2001). Emergence of communication networks. In F.M. Jablin & L.L. Putnam (eds.), New handbook of organizational communication (pp. 440-502). Newbury Park, CA: Sage.

Nahapiet, J. & Ghoshal, S. (1998). Social Capital, intellectual capital and the organizational advantage. Academy of Management Review, 23(2), 242-266.

Portes, A. (1988). Social Capital: Its Origins and Applications in Modern Sociology. Annual Review of Sociology, 24.

Putnam, R. D. (2000). Bowling alone: the collapse and revival of American community. New York: Simon & Schuster.

Sebastián, J. (2004). Cooperação e Internacionalização das Universidades. Argentina: Editorial Biblos.

Wasserman, S. & Faust, K. (1994). Social Network Analysis: Methods and Applications. Cambridge: Cambridge University Press.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.