A EMPRESARIZAÇÃO DO SAGRADO: UM ESTUDO SOBRE A ESTRUTURAÇÃO DE IGREJAS PROTESTA

Julio Cesar de Santana Gonçalves, Antonio Roberto Coelho Serra, Carlos Everaldo Silva Costa
DOI: https://doi.org/10.21529/RECADM.20070602010

Texto completo:

Artigo Artigo

Resumo

No âmbito da Teoria das Organizações, este trabalho tem como objetivo discutir de que forma o fenômeno da empresarização das organizações está relacionado à estruturação organizacional de igrejas evangélicas pertencentes ao protestantismo histórico, pentecostal e neopentecostal em Santa Catarina. Descrevem-se os elementos que caracterizam o fenômeno de empresarização nessas igrejas e os seus processos de estruturação organizacional nos últimos dez anos. Trata-se de um estudo qualitativo multicaso, cuja coleta de dados foi feita a partir da observação direta, de entrevistas e da análise documental. Os dados primários foram tratados mediante análise de conteúdo e os dados secundários, por meio da análise documental. Evidencia-se que o processo de empresarização se desenvolveu pontualmente em diferentes estágios e intensidades dentro de cada igreja investigada. Todas as três organizações apresentaram indícios de adequação aos parâmetros empresariais considerados neste trabalho.

Palavras-chave

Empresarização ; Estruturação organizacional ; Igrejas Evangélicas


Referências


FRESTON, Paul. Protestantes e política no Brasil: da Constituinte ao impeachment. Campinas: Tese de Doutorado em Sociologia – IFCH. Campinas. UNICAMP, 1993.

HALL, Richard H. Organizações – Estruturas, Processos e Resultados. 8ª ed. Rio de Janeiro: Prentice-Hall, 2004.

HATCH, M. J. Organization Theory: modern, symbolic and postmodern perspectives. Oxford: Oxford University Press, 1997.

IBGE. Censo Demográfico. Rio de Janeiro, 2000.

MARCONI, Marina de A; LAKATOS, Eva M. Fundamentos da

metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1991.

MARIANO, Ricardo. Igreja Universal do Reino de Deus: a magia institucionalizada. Revista USP, São Paulo: Coordenadoria de Comunicação Social (CCS), n. 31, p.120 –131. 1989.

MARIANO, Ricardo. Análise sociológica do crescimento pentecostal. Tese de Doutorado em Sociologia - F.F.L.C.H. São Paulo. USP, 2001.

MENDONÇA, Antonio Gouvêa. O celeste porvir: a inserção do protestantismo no Brasil. São Paulo: Paulinas, 1984.

MENDONÇA, Antonio Gouvêa.Um panorama do protestantismo brasileiro atual. In: Sinais dos Tempos: Tradições Religiosas no Brasil. Cadernos do ISER, n. 22, p. 37-86, Rio de Janeiro, 1989.

MENDONÇA, Antônio Gouvêa; VELASQUES FILHO, Prócoro. Introdução ao protestantismo no Brasil. São Paulo: Loyola, 1990.

MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.

OLIVEIRA JUNIOR, Aristides da Rocha. A gestão estratégica no terceiro setor: estudo de caso numa organização eclesiástica. Dissertação de Mestrado. Rio de Janeiro, FGV/EBAPE, 2002.

SILVA, Elizete. Protestantismo e questões sociais. In: Sitientibus, n. 14. Feira de Santana: UEFS, 1996.

SOLÈ, Andreu. ¿Qué es una empresa ? Construcción de un idealtipo transdisciplinario. Papel de trabajo. Paris,

a.

SOLÈ, Andreu. Construction d’un idéaltype de l’entreprise afin d’étudier l’ “entreprisation” du monde. Papier de

travail. Paris, 2004b.

STONER, J. A. F.; FREEMAN, R. E. Administração. Rio de Janeiro: Prentice-Hall, 1992.

TRIVIÑOS, Augusto N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

WAGNER III, J. A.; HOLLENBECK, J. R. Comportamento organizacional: criando vantagem competitive. São Paulo: Saraiva, 2000.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.