Valores organizacionais e do trabalho: um estudo com professores de uma escola filantrópica e confessional de Belo Horizonte (MG)

Kely Cesar Martins Paiva, Alexandre Felício Peixoto, Talita Ribeiro Luz
DOI: https://doi.org/10.21529/RECADM.2014005

Texto completo:

Artigo PDF

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar como se encontram configurados os valores organizacionais e do trabalho de professores, na percepção deles próprios. O referencial teórico aprofundou nas temáticas, destacando-se as contribuições de Oliveira e Tamayo (2004) e Porto e Tamayo (2003), cujos modelos conceituais foram adotados para fins da pesquisa realizada. Neste artigo, resultante de uma pesquisa descritiva que contou com uma triangulação metodológica, foi apresentada a parte quantitativa do estudo de caso, que contou com 77 professores de uma instituição de ensino filantrópica e confessional, localizada em Belo Horizonte (MG). Os dados do questionário foram trabalhados com estatística uni e bivariada. Quanto aos valores do trabalho, salientem-se os resultados positivos em relação a “realização”, “relações sociais” e “estabilidade”; já o valor “prestígio” foi avaliado mais timidamente pelos pesquisados, o que pode estar refletindo uma precarização do trabalho docente. Quanto aos valores organizacionais, apuraram-se escores positivos no que tange à “autonomia”, “realização”, “conformidade” e “preocupação com a coletividade”. Os testes de comparação apresentaram 6 resultados significativos; já os de correlação somaram 36 resultados significativos (4 entre construtos e dados sociodemográficos; 32 dos construtos entre si). Foram apresentadas as contribuições e limitações do estudo e uma agenda para pesquisas futuras.

 

 


Palavras-chave

Valores organizacionais; Valores do trabalho; Professor; Instituição privada


Referências


Alves-Mazzoti, A. J., Gewandsznajder, F. (1999) O método nas ciências naturais e sociais. São Paulo: Thompson.

Bastos, A. V. B., Borges-Andrade, J. E. (1995) Comprometimento no trabalho: identificando padrões de comprometimento do trabalhador com a organização, a carreira e o sindicato. Anais do Encontro da ANPAD, João Pessoa, PB, Brasil, 19.

Borges, L. O. (1999) A estrutura fatorial dos atributos valorativos e descritivos do trabalho: um estudo empírico de aperfeiçoamento e validação de um questionário. Estudos de Psicologia, 4(1): 107-139.

Campos, B. A. (2008) Estrutura de valores relativos ao trabalho: um estudo em empresas juniores. In: M. L. M. Teixeira (org.). Valores Humanos & Gestão – novas perspectivas (pp. 389-408). São Paulo: Senac.

Collis, J., Hussey, R. (2005) Pesquisa em Administração. Porto Alegre: Bookman.

Dejours, C. (1988) A Loucura do Trabalho. São Paulo: Cortez.

Elizur, D. (1984) Facets of work values: a structural analysis of work outcomes. Journal of Applied Psychology, 69(3):379-389.

Elizur, D., Sagie, A. (1999) Facets of personal values: a structural analysis of life and work values. Applied Psychology, 48(1): 73-87.

Fleury, M. T. L. (1991) Cultura organizacional e estratégias de mudanças: recolocando estas questões no cenário brasileiro atual. Revista de Administração, 26(2):3-11.

Godoy, A. S. (1995) Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas – RAE, 35(2):57-63.

Lüdke, M., André, M. E. D. A. (1986) Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.

Miles, M. B. (1979). Qualitative data as an attractive nuisance: the problem of analysis. Administrative Science Quarterly, 24(4):590-601.

Oliveira, A. F., Tamayo, A. (2004) Inventário de perfis de valores organizacionais. Revista de Administração de Empresas (USP), 39(2):129-140.

Porto, J. B. (2005) Mensuração de Valores no Brasil. In: A. Tamayo, J. B. Porto. Valores e comportamento nas organizações (pp. 96-119). Petrópolis, RJ: Vozes.

Porto, J. B., Tamayo, A. (2003) Escala de Valores Relativos ao Trabalho – EVT. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 19(2):145-152.

Porto, J. B., Tamayo, A. (2008) Valores do Trabalho. In: M. M. M. Siqueira (org.). Medidas do Comportamento Organizacional: ferramentas de diagnóstico e de Gestão (pp. 295-307). Porto Alegre: Artmed.

Ros, M., Gouveia, V. V. (2006) Valores, atitudes e comportamento: uma nova visita a um tema clássico. M. Ros, V. V. Gouveia (orgs.) Psicologia social dos valores humanos: desenvolvimentos teóricos, metodológicos e aplicados (pp. 87-114). São Paulo: Senac.

Ros, M., Schwartz, S. H., Surkiss, S. (1999) Basic values, work values and the meaning of work. Applied Psychology: An International Review, 48(1):49-71.

Santos, S. W., Fischer, R., Milfont L. T., Gouveia, V. (2008) Teoria funcionalista dos valores humanos. In: M. L. M. Teixeira (org.). Valores humanos e gestão: Novas Perspectivas (pp. 47-80). São Paulo, SP: Senac.

Schwartz, S. H. (2005a) Valores Humanos básicos: seu contexto e estrutura intercultural. In: A. Tamayo, J. B. Porto (orgs.). Valores e comportamento nas organizações (pp. 21-55). Petrópolis, RJ: Vozes.

Schwartz, S. H. (2005b) Validade e aplicabilidade da Teoria de Valores. In: A. Tamayo, J. B. Porto (orgs.). Valores e comportamento nas organizações (pp. 56-95). Petrópolis, RJ: Vozes.

Super, D. E. (1957) The psychology of careers. New York: Harper & Row.

Tamayo, A. (2005) Impacto dos valores pessoais e organizacionais sobre o comportamento organizacional. In: A. Tamayo, J. B. Porto. Valores e comportamento nas organizações (pp.160-186). Petrópolis, RJ: Vozes.

Tamayo, A. (2008) Valores Organizacionais. In: M. M. M. Siqueira (org). Medidas do Comportamento Organizacional: ferramentas de diagnóstico e de Gestão (pp. 309-340). Porto Alegre: Artmed.

Tamayo, A., Gondim, M. G. C. (1996) Escala de Valores Organizacionais. Revista de Administração, São Paulo, 31(2):62-72.

Tamayo, A., Mendes, A. M., Paz, M. G. T. (2000) Inventário de valores organizacionais. Estudos de Psicologia, 5(2):289-315.

Tardif, M. (2002) Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes.

Teixeira, M. L. M. (2008) Dignidade organizacional: valores e relações com stakeholders. In: M. L. M. Teixeira (org.). Valores humanos e gestão: Novas Perspectivas (pp. 81-92). São Paulo, SP: Senac.

Triviños, A. N. S. (1987) Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Atlas.

Vergara, S. C. (2009) Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas.

Yin, R. K. (2001) Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.