Cultura organizacional em empresas industriais: um estudo nas maiores empresas de Maracanaú/CE

Gleíza Guerra Braga, Serafim Firmo de Souza Ferraz, Tereza Cristina Batista de Lima
DOI: https://doi.org/10.21529/RECADM.2014017

Texto completo:

Artigo PDF

Resumo

Os distritos industriais são aglomerados de empresas associados no plano teórico com o fator inovação e às políticas de desenvolvimento baseadas em clusters, vantagens locacionais e potencialidades locais. O objetivo desse estudo foi identificar tipologias de cultura organizacional predominantes nas empresas instaladas nos distritos industriais de Maracanaú, no Estado do Ceará. A survey com 3271 operários das 50 maiores empresas ali instaladas concluiu pelo não predomínio de uma cultura de inovação (26,7%), mas um mosaico cultural quase homogêneo de culturas de mercado (29,2%), em convívio com culturas tradicionais hierárquicas (22,5%) e de clã (21,7%), segundo as tipologias de Cameron & Quinn, sugerindo rico adensamento organizacional como consequência de política pública.

 


Palavras-chave

Cultura organizacional; distritos industriais; estudos diagnósticos culturais; competitividade


Referências


Appelbauma, S., Bartolomucci, N., Beaumier, E., Boulanger, J., Corrigan, R., Doré, I., Girard, C., & Serroni, C. (2004). Organizational citizenship behavior: a case study of culture, leadership and trust. Management Decision, 42(1), 13-40,

Amaral Filho, J. (2001). A Endogeneização no desenvolvimento econômico regional. Revista PPP, 1 (1).

Babbie, E. (2005). Métodos de pesquisas de Survey. Belo Horizonte: UFMG

Baird, K., Hu, K. J., & Reeve, R. (2011). The relationships between organizational culture, total quality management practices and operational performance. Journal of Safety Research, 39 (1), 789–914,

Balestrin, A., & Verschoore, J. (2008). Redes de cooperação interorganizacional: estratégias de gestão na nova economia. Porto Alegre: Bookman,

Cameron, K. S., & Quinn, R. (2006). Diagnosing and changing organizacional culture: based on the competing values Framework, revised edition, San Francisco: Jossey-Bass.

Chang, S. E., & Lin, C. (2007). Exploring organizational culture for information security management. Industrial Management & Data Systems107 (3), 438-458.

Chizzotti, A. (2001). Metodologia do Ensino Superior: o Ensino com Pesquisa. In Castanho, S., & Castanho, M. E. (Orgs.). Temas e Textos em metodologia do Ensino Superior. Campinas: Papirus.

Cvijetic, M., & Savicevic, D. (2012). Regression Model of organizational culture and employees personality dimensions. Metalurgica international, 17 (4), 111–114,

FIEC - Federação das Indústrias do Estado do Ceará. (2010). Guia Industrial do Ceará. Fortaleza: FIEC.

Fortado, B., & Fadil, P. (2012). The four faces of organizational culture. Competitiveness Review: an international business journal, 22 (4), 283-298,

Graham, C. M., & Nafukho, F. M. (2007). Culture, organizational learning and selected employee background variables in small-size business enterprises. Journal of European Industrial, 31 (2), 127-144.

Howard-G., & J. A. (2006). Inside the “Black Box”: How Organizational Culture and Subcultures Inform Interpretations and Actions on Environmental Issues. Organization & Environment 19 (1), 46-73.

Jung, T.; Scott, T., & Davies, H. T. O. (2009). Instruments for exploring organizational culture: a review of the literature. Public administration review, 69 (6), 1087-1096.

Liu, H., Ke, W., Wei, K. K., Gu, J., & Chen, H. (2010). The role of institutional pressures and organizational culture in the firm’s intention to adopt internet-enabled supply chain management systems. Journal of Operations Management, 28 (1), 372–384.

Melo, R. L. C. (outubro, 2005). A implantação e distritos industriais na área de influência do setor petróleo e gás e possíveis impactos econômico-espaciais: o caso da zona especial de negócios em Rio das Ostras - RJ. Anais do Congresso Brasileiro de P&D em petróleo e gás, Salvador, BA.

Roesch, S. A. (2006). Projetos de estágios e de pesquisa em administração: guia para estágios, trabalhos para conclusão, dissertações e estudos de caso (3ed), São Paulo: Atlas

Santos, D. (2002). Teorias de inovação de base territorial. In: Costa, J. S. (Coord.). Compêndio de economia regional. Coimbra: APDR.

SEBRAE (2011). Critérios de classificação de empresas. Disponível em: Recuperado em 20 maio 2011.

Schein, E. (1995). Liderança e Cultura organizacional. In Hesselbein, F., Goldsmith, R. B., & Beckhard, R. O líder do futuro: visões, estratégias e práticas para uma nova era. São Paulo: Futura.

Scipião, T. T. (2004). Política industrial para a promoção de arranjos produtivos locais: um estudo de caso em Marco, Ceará. Dissertação de Mestrado. Curso de Mestrado em Políticas Públicas e Sociedade. Fortaleza.

Shimakura, S. E. (2006). Correlação. Paraná: Dep. de Estatística da Universidade Federal do Paraná: 71-78p.

Yilmaz, C., & Ergun, E. (2008). Organizational culture and firm effectiveness: An examination of relative effects of culture traits and the balanced culture hypothesis in an emerging economy. Journal of World Business, 43 (1), 290-306.

Zanelli, J.C., Andrade, J. E. B. A., & Bastos, A. V. B. (2004). Psicologia, Organizações e Trabalho no Brasil. São Paulo: Artmed.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.