Carreira e sucesso em uma revista de negócios: uma análise à luz da quantofrenia gerencialista

Carmem Ligia Iochins Grisci, Wagner Soares Fernandes Santos, Rodilon Teixeira, Wagner Rocha Gomes, Felipe Santos Machado
DOI: https://doi.org/10.21529/RECADM.2015004

Texto completo:

Artigo

Resumo

À luz do conceito de quantofrenia gerencialista (Gaulejac, 2007) tomado em sua relação com o estilo de vida característico da sociedade líquido-moderna (Bauman, 2009), o presente estudo indagou: como uma revista popular de negócios vem apresentando as noções de carreira e sucesso ao longo dos últimos anos? E objetivou destacar e analisar as noções de carreira e de sucesso apresentadas por uma revista popular de negócios. Elegeu-se a revista Você S/A para o estudo por considerar-se que ela atua na divulgação e legitimação da lógica gerencialista que contempla a quantofrenia. A coleta de dados privilegiou as chamadas de capa de suas 156 edições publicadas em treze anos (1998-2011). A técnica de análise de conteúdo evidenciou o uso de números e o modo explícito ou latente de apresentação das categorias carreira e sucesso. Os números apontaram dicas, lições, atitudes, ideias e ações que, na arena das escolhas plurais, orientam o estilo de vida (Giddens, 2002). A intensificação do uso de números com destaque evidenciou a quantofrenia relacionada às categorias carreira e sucesso. Prescritiva dos modos de ser e agir para a obtenção de sucesso profissional, a quantofrenia se mostrou implicada ao estilo de vida demandado pelo trabalho. 


Palavras-chave

Sociedade líquido-moderna; Quantofrenia; Carreira; Sucesso; Estilos de vida


Referências


Arthur, M. B., & Rousseau, D. M. (1996). Introduction: the boundaryless career as a new employment principle. In M. B. Arthur, & D. M. Rousseau (Orgs.), The boundaryless career: a new employment principle for a new organizational era (pp. 3-20). New York: Oxford University Press.

Bauman, Z. (2009). Vida líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editores.

Bridges, W. (1995). Mudanças nas relações de trabalho. São Paulo: Makron Books.

Defillippi, R. J., & Arthur, M. B. (1994). The boundaryless career: a competency-based perspective. Journal of Organizational Behavior, 15(4), 307-324.

Eccel, C. S., Grisci, C. L. I., & Tonon, L. (2010). Representações do corpo em uma revista de negócios. Psicologia & Sociedade, 22(2), 309-317.

Editora Abril. (2014). [Apresenta informações gerais sobre a Revista Você S.A.]. Recuperado de http://www.publiabril.com.br/marcas/vocesa/revista/informacoes-gerais

Flach, L., Grisci, C. L. I., Silva, F. M., & Manfredini, V. (2009). Sofrimento psíquico no trabalho contemporâneo: analisando uma revista de negócios. Psicologia & Sociedade, 21(2), 193-202.

Fontenelle, I. A. (2005, setembro). “Eu Proteu”: a auto-gestão de carreira entre fatos e mitos. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Brasília, DF, Brasil, 29.

Gaulejac, V. de. (2007). Gestão como doença social: ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. São Paulo: Ideias e Letras.

Gorz, A. (2005). O imaterial: conhecimento, valor e capital. São Paulo: Annablume.

Giddens, A. (2002). Modernidade e Identidade. Rio de Janeiro: Zahar.

Hall, D. T., & Mirvis, P. H. (1996). The new protean career: psychological success and the path with a heart. In D. T. Hall (Org.), The career is dead, long live the career: a relational approach to careers (pp. 15-45). San Francisco: Jossey-Bass.

Hall, D. T., & Moss, J. (1998). The new protean career contract: helping organizations and employees adapt. Organizational Dynamics, 26(3), 22-37.

Heloani, J. R., & Capitão, C. G. (2012) Sexualidade e trabalho na visão da psicanálise. In M. E. de Freitas, & M. Dantas (Orgs.), Diversidade sexual e trabalho (pp. 23-49). São Paulo: Cengage Learning.

Ituassu, C. T., & Tonelli, M. J. (2011, novembro). Notas sobre o conceito de sucesso: sentidos construídos e possíveis ressignificações. Anais do Encontro de Gestão de Pessoas da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, João Pessoa, PB, Brasil, 3.

Mansano, S. V. R. (2009). Sorria, você está sendo controlado: resistência e poder na sociedade de controle. São Paulo: Summus.

Minayo, M. C. de S. (Org.). (2003). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: Vozes.

Paiva, V. (1998). Educação e mundo do trabalho: notas sobre formas alternativas de inserção de setores qualificados. Contemporaneidade e Educação, 3(4), 8-21.

Sant’anna, D. B. de. (2001). Corpos de passagem: ensaios sobre a subjetividade contemporânea. São Paulo: Estação Liberdade.

Sennett, R. (2009). A corrosão do caráter: consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record.

Silva, G. T. F. da. (2010). As crises financeiras mundias de 1929 e 2008: uma análise comparativa a partir da abordagem pós-keynesiana (Dissertação de mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

Strinati, D. (1999). Cultura popular: uma introdução. São Paulo: Hedra.

Tanure, B., Carvalho, A., Neto, & Andrade, J. (2007). Executivos: sucesso e (in)felicidade. Rio de Janeiro: Elsevier.

Velloso, J. P. R., & Albuquerque, R. C. (2009). Na crise global, como ser o melhor dos BRICS. Rio de Janeiro: Elsevier.

Wood, T., Jr., & Paula, A. P. P. (2002, setembro). Pop-management: pesquisa sobre as revistas populares de gestão no Brasil. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Salvador, BA, Brasil, 26.

Wood, T., Jr., & Caldas, M. P. (2005). Produção científica em administração no Brasil: o estado da arte. São Paulo: Atlas.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.