TEORIAS ORGANIZACIONAIS E O DILEMA AMBIENTAL: UM TRATAMENTO PARA A MUDANÇA ORGANIZACIONAL?

Cleber J. C. Dutra, Luis Felipe Nascimento
DOI: https://doi.org/10.5329/RECADM.20050402007

Texto completo:

Artigo

Resumo

Este é um ensaio reflexivo dirigido à análise de limitações de Teorias Organizacionais na abordagem da temática ambiental.  Propõe-se um dilema hipotético como exercício de análise, objetivando destacar inconsistências entre os enfoques das teorias para caracterizar o  "ambiente".  As limitações podem refletir-se como problemas para integração de múltiplas visões parciais do ambiente, gerando interações deficientes entre os envolvidos com as questões ambientais.  Ao destacar fundamentos relacionais importantes para a gestão, são dedicadas considerações quanto ao uso alternativo de propostas conceituais ainda não devidamente dedicadas ao assunto, como o caso das teorias da Mudança Organizacional.  Uma revisão dos artigos publicados com enfoque ambiental nos EnANPADs entre 1997 e 2004 confirma o caráter inédito desta alternativa de abordagem.

 

 


Palavras-chave

Gestão Ambiental; Mudança Organizacional; Teorias Organizacionais


Referências


Barney, Jay B.; Hesterly, W. Economia das Organizações: Entendendo a Relação entre Organizações e a Análise Econômica. In: Clegg, S.; Hardy, C; Nord, D. (Orgs.) Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 2004. V.3, p. 131-179

Baum, Joel A. C. Ecologia Organizacional. In: CLEGG, S.; HARDY, C; NORD, D. (Orgs.) Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 1998. V. 1, p. 137-195

Carvalho, Cristina Amélia; Vieira, Marcelo Milano Falcão. Contribuições da perspectiva institucional para a análise das organizações: possibilidades teóricas, empíricas e de aplicação. In: Carvalho, Cristina Amélia; Vieira, Marcelo Milano Falcão (Orgs.). Organizações, cultura e desenvolvimento local: a agenda de pesquisa do Observatório da Realidade Organizacional. Recife: Editora UFPE, 2003.

Carvalho, Cristina Amélia; Goulart, Sueli; Vieira, Marcelo Milano Falcão. A inflexão conservadora na trajetória histórica da Teoria Institucional. Anais do Enanpad 2004.

Champy, James; Nohria, Nitin. No Meio da Tempestade: o ciclo de mudanças se acelera. In: Avanço Rápido: as melhores idéias sobre o gerenciamento de mudanças nos negócios, Rio de Janeiro: Campus, 1997. p. XVXXXIII

Dimaggio, Paul e Powell, Walter. The iron cage revisited: institutional isomorphism and collective rationality. In: Powell, Walter W. e Dimaggio, Paul J. (Eds) The new institutionalism in organizational analysis. Chicago: University of Chicago Press, 1991.

Donaldson, Lex. Teoria da Contingência Estrutural. In: CLEGG; HARDY; NORD (Orgs.) Handbook de Estudos Organizacionais. São Paulo: Atlas, 1998. V. 1, p. 105-133

Drucker, P. The coming of the new organization. Harvard Business Review, Boston, v. 68, n. 6, p. 45-53, jan/feb 1988.

Drucker, Peter. O Surgimento da Nova Organização. In: Avanço Rápido: as melhores idéias sobre o gerenciamento de mudanças nos negócios. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

DRUCKER, Peter. Prática da administração de empresas. São Paulo: Pioneira Thompson Learning, 2003. p. 3-14.

Egri, Carolyn P. e Pinfield, Laerence T. As Organizações e a Biosfera: Ecologia e Meio Ambiente. In: Clegg, S.; Hardy, C; Nord, D. (Orgs.) Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 1998. V. 1, p. 195-219

Fachin, Roberto C.; Mendonça, J. Ricardo C. de. Selznick: uma visão da vida e da obra do percursos da perspectiva institucional na teoria organizacional. In: VIEIRA, Marcelo Milano Falcão; Carvalho, Cristina Amélia (Orgs.) Organizações, instituições e poder no Brasil. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2003.

Machado-da-Silva, Clóvis L e Gonçalves, Sandro A. Nota Técnica: A Teoria Institucional. In: Clegg, S.; Hardy, C; Nord, D. (Orgs.) Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 1998. V. 1, p. 363-399

Motta, Paulo Roberto. Gestão contemporânea: a ciência e a arte de ser dirigente. Rio de Janeiro: Record, 1995.

Munro, R. Disorganization. In: Westwood ; CLEGG, S. (Eds.) Debating organization: point-counterpoint in organization studies. London: Blackwell, 2003. p.283-297

Reed, Michael. Teorizacao Organizacional: Um Campo Historicamente Contestado. In: Clegg, S.; Hardy, C; Nord, D. (Orgs.) Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 1998. V. 1, p. 61-98

Rifkin, Jeremy. O Fim dos Empregos: o declínio inevitável dos níveis dos empregos e a redução da força global de trabalho. São Paulo: Makron Books, 1995.

Taylor, Frederick W. Princípios de administração científica. São Paulo: Atlas, 1982.

Tolbert, Pamela S. e Zucker, Lynne G. A Institucionalização da Teoria Institucional. In: Clegg, S.; Hardy, C; Nord, D. (Orgs.) Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 1998. V. 1, p. 195-219

Vieira, Marcelo Milano Falcão; Carvalho, Cristina Amélia. Introdução. In: Vieira, Marcelo Milano Falcão; Carvalho, Cristina Amélia (Orgs.) Organizações, instituições e poder no Brasil. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2003.

Wood Jr. Thomaz (Coord.) Mudança Organizacional: aprofundando temas atuais em administração de empresas. 2a. ed. São Paulo: Atlas, 2000. p. 17-33

Zawislak, P. Nota Técnica: Economia das Organizações e a Base para o Pensamento Estratégico. In: CLEGG, S.; HARDY, C; NORD, D. (Orgs.) Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 2004. V.3, p. 180-185




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.