Significações psicossociais sobre o sentido do trabalho e a competitividade em modos de produção contemporâneos

Sydney Ubirajara Cardoso, Ricardo Augusto Alves de Carvalho
DOI: https://doi.org/10.5329/RECADM.20090802008

Texto completo:

Artigo

Resumo

A reestruturação da produção, desde os anos 1970, estabeleceu uma nova ordem com exigências de capacitação e dedicação dos trabalhadores visando mais qualidade e produtividade nos modos de produção. Nessa nova dinâmica desenvolveu-se a terceirização, na qual as empresas tomadoras repassam às empresas prestadoras e especialistas, as atividades que, supostamente, não fazem parte dos processos críticos do negócio, o core business; com pressupostos de redução de custos e aumento de eficiência. A forma de produzir bens ou serviços é resultado da conjunção de recursos materiais, tecnologia e força de trabalho, o que permite ampla gama de configurações da organização. Este artigo apresenta um estudo de caso, cuja pesquisa investigou a terceirização como forma de organização, o modelo de gestão como mecanismo de adequação das relações, e a atuação em equipes como elemento estruturante do trabalho. Buscou-se entender como se dá o atendimento dos interesses e necessidades humanas e empresariais, com foco na formação da identidade psicológica e inserção social dos indivíduos, na eficiência operacional e competitividade das empresas.

 


Palavras-chave

Terceirização; relações de trabalho; equipes de trabalho


Referências


ALBUQUERQUE, F. J. B. e PUENTE-PALACIOS, K. E. Grupos e equipes de trabalho nas organizações. In: ZANELLI, J. C.; BORGESANDRADE, J. E.; BASTOS, A. V. B. (Orgs). Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2004.

ALMEIDA, F. O bom negócio da sustentabilidade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002.

AMATO NETO, J. Reestruturação industrial, terceirização e redes de subcontratação. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 2,

mar./abr., 1995.

BORGES, L. O.; ALBUQUERQUE, F. J. B. Socialização organizacional. In: ZANELLI, J. C.; BORGES-ANDRADE, J. E.; BASTOS, A. V. B. (Orgs). Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2004.

CAVALCANTE, A. R.; ALBUQUERQUE, A. C.; JESUS, C. R. Dilemas da sociedade do trabalho. Belo Horizonte: Argvmentum, 2005.

CARDOSO, S. U. Trabalho e identidade em grupos de trabalhadores terceirizados numa perspectiva psicossociológica. Monografia

(Especialização em Psicologia do Trabalho) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG, Belo Horizonte, 2006

CARDOSO, S. U. Gestão da terceirização de serviços: um estudo sobre as práticas e os impactos às pessoas e à cadeia de valor. Projeto de Conclusão de Curso (Master in Business Administration) - Fundação

Dom Cabral, Belo Horizonte, 2007

CARDOSO, S. U. As relações de trabalho em equipes terceirizadas: um estudo das significações psicossociais para os trabalhadores e para as organizações. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade de Estudos Administrativos de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

CARVALHO, R. A. A. Saúde mental e trabalho: um novo (velho) campo para a questão da subjetividade. 1995. In: CODO, W. e SAMPAIO, J. J. C. (Orgs.). Sofrimento psíquico nas organizações: saúde mental e trabalho. Petrópolis:

Vozes, 1995.

CARVALHO, R. A. A. Reconfiguração de perfis entre os processos de inserção, “desinserção” e reinserção dos (novos) sujeitos trabalhadores.

In: CARVALHO, R. A. A.; HORTA, C. R. (Orgs.). Globalização, trabalho e desemprego, um enfoque internacional. Belo Horizonte: Com Arte, 2001.

CARVALHO, R. A. A. Novos conceitos e reflexões sobre o trabalho. Disponível em: . Acesso

em: 11 jul. 2009.

DALMAZO, L.; FUSCO, C. O apagão da Telefônica. Revista Exame, São Paulo, ed. 947, Ano 43, n. 13, de 15 jul. 2009.

DIAS, R. Sociologia das organizações. São Paulo: Atlas, 2008.

ENRIQUEZ, E. Os desafios éticos nas organizações modernas. Revista de Administração de Empresas, v. 37, n. 2, 1997.

ENRIQUEZ, E. Perda do trabalho, perda da identidade. In: NABUCO, M. R.; CARVALHO NETO, A. (Orgs.). Relações de trabalho contemporâneas. Belo

Horizonte: IRT – PUC Minas, 1999.

ENRIQUEZ, E. O papel do sujeito humano na dinâmica social. In: LÉVY, A.; MACHADO, M. N. da M. (Orgs.). Psicossociologia: análise social e intervenção. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

GOULART, I. B. Desenvolvimento de equipes detrabalho. In: GOULART, I. B. (Org). Psicologia organizacional e do trabalho: teoria, pesquisa e temas correlatos. São Paulo: Casa do Psicólogo,

GOULART, I. B.; GUIMARÃES, R. F. Cenários contemporâneos do mundo do trabalho. In: GOULART, I. B. (Org.). Psicologia organizacional

e do trabalho: teoria, pesquisa e temas correlatos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.

JACQUES, M. G. C. Identidade. In: STREY, M. N. et al. Psicologia social contemporânea. Petrópolis: Vozes, 1998.

KATZENBACH, J. R.; SMITH, D. K. Equipes de alta performance: conceitos, princípios e técnicas para potencializar o desempenho das equipes. Rio de Janeiro: Elsevier, 2001.

LIMA, F. P. A. Ética e trabalho. In: GOULART, I. B. (Org.). Psicologia organizacional e do trabalho: teoria, pesquisa e temas correlatos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.

MAZON, R. Negócios sustentáveis e seus indicadores. In: KEINERT, T. M. M. (Org.). Organizações sustentáveis: utopias e inovações.

São Paulo: Annablume, 2007.

RESENDE, W. Terceirização: a integração acabou? Revista de Administração de Empresas, v.37, n. 4, 1997.

ROUCHY, J. C. Identificação e grupos de pertencimento. In: ARAÚJO, J. N. G.; CARRETEIRO, T. C. (Orgs.). Cenários sociais e

abordagem clínica. São Paulo: Escuta, 2001.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências. São Paulo: Cortez, 2005.

SENNETT, R. A corrosão do caráter: conseqüências pessoais do trabalho no novo capitalismo. São Paulo: Record, 1999.

SILVA, G. A. V. et al. Desafios na gestão de pessoas em ambientes com diferentes tipos de vínculos de trabalho. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 2001, Campinas. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2001.

SILVA, A. J. A. Paradoxos da modernização: terceirização e segurança em uma refinaria de petróleo. 2001. 347 f. Tese (Doutorado em Saúde Pública) - Escola Nacional de Saúde Pública,

Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2001.

TRAJANO, A.R.C. Trabalho e identidade em novas configurações socioprodutivas: autogestão, autonomia e solidariedade em

construção. Dissertaçãode mestrado em Psicologia na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG. Belo Horizonte: UFMG-FAFICH, 2002.

SINGER, P. A crise nas relações de trabalho. In: NABUCO, M. R.; CARVALHO NETO, A. (Orgs.). Relações de trabalho contemporâneas. Belo Horizonte: IRT – PUC Minas, 1999.

ZANELLI, J. C. O psicólogo nas organizações de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 2002




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.