Um estudo das motivações para implantação de programas de logística reversa de microcomputadores

Ezequiel Ferreira dos Santos, Maria Tereza Saraiva de Souza
DOI: https://doi.org/10.5329/RECADM.20090802002

Texto completo:

Artigo

Resumo

O objetivo deste estudo é verificar os fatores determinantes que motivaram a implantação e manutenção de programas de logística reversa para o gerenciamento de resíduos de microcomputadores pós-consumo. São escassas as pesquisas que avaliam o impacto sobre o meio ambiente provocado pelo descarte inadequado dos microcomputadores e principalmente as alternativas sustentáveis para a mitigação destes impactos. A pesquisa é de caráter exploratório e qualitativo, utilizando estratégia de estudo de casos múltiplos. As organizações pesquisadas são fabricantes de microcomputadores, sendo uma nacional e outra multinacional, ambas de grande porte. As fontes de evidência utilizadas foram entrevistas semi-estruturadas, registro em arquivos, pesquisa documental e observação direta. Os resultados da pesquisa mostram que os principais fatores que determinaram a implantação e manutenção do processo de logística reversa nas empresas pesquisadas foram: o impacto ambiental, os recursos escassos, a legislação, a imagem institucional, o sistema de gestão ambiental e envolvimento da alta administração.

 

 


Palavras-chave

Gestão Ambiental; Meio Ambiente; Impacto Ambiental; Logística Reversa; Resíduos Sólidos; Reciclagem


Referências


BANDEIRA-DE-MELLO, R. Softwares em pesquisa qualitativa. In: GODOI, C. K.; BANDEIRA-DEMELLO, R.; SILVA, A. B. (Orgs.). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. São Paulo: Saraiva, 2006.

BRASIL. Decreto nº 875, de 19 de Julho de 1993. Promulga o texto da convenção sobre o controle de movimentos transfronteiriços de resíduos perigosos e seu depósito. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto/D0875.

htm>. Acesso em 04/05/2009.

EISENHARDT, K. M. Building theories from case study research. Academy of Management Review, v. 14, n. 4, p. 522-550, Oct. 1989.

FLEURY, P. F. Logística empresarial: a perspectiva brasileira. São Paulo: Atlas, 2000.

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 2. ed. Porto Alegre: Bookman. 2004.

ITDATA, Consultoria, Press Releases sobre Mercado de PCs no Brasil – 2006. Disponível em: < http://www.itdata.com.br/prs/index.php?location=prs &id=04>. Acesso em 02/03/2009.

LACERDA, L. Logística reversa: uma visão sobre os conceitos básicos e as práticas operacionais. Rio de Janeiro: COPPEAD, 2002. Disponível em:

. Acesso em: 07 Jul. 07.

LEITE, P. R. Logística reversa: meio ambiente e competitividade. São Paulo: Prentice Hall, 2003.

LEITE, P. R. Canais de distribuição reversos. Revista Tecnologística, v. 6, n. 61, p. 46-67, dez. 2004.

LEITE, P. R. Logística reversa: categorias e práticas empresariais em programas implementados no Brasil – um ensaio de categorização. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 29., 2005, Brasília. Anais... Rio

de Janeiro: ANPAD, 2005.

MATTHEWS S,; MATTEWS D. Informatio Technology Products and the Environment. In Kuehr, Ruediger; Eric Williams: Computers and the Environment: Understanding and Managing Their Impacts, Kluwer Academic Publishers, EcoEfficiency in Industry and Science Series, Dordrecht/NL, October 2003

MILES, M. B., HUBERMAN, A. M. Qualitative data analysis: an expanded sourcebook. 2 ed. Thousand Oaks: Sage, 1994.

REVLOG. Pesquisa geral no site. Disponível em:

. Acesso em: 02 mar. 2009.

ROGERS, D. S.; TIBBEN-LEMBKE, R. S. Going backwards: reverse logistics, trends and practices. Reno: Center for Logistics Management, 1999.

SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE. Convenção da Basiléia sobre o controle de movimentos transfronteiriços de resíduos perigosos e seu depósito. 2. ed. São Paulo: Secretaria do Ambiente, 1997.

STOCK, J. R. Development and implementation of reverse logistics programs. Oak Brook: Council of Logistics Management, 1998.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.