Enfoques do comprometimento dos membros dos grupos PET da USP: um estudo comparativo entre grupos da capital e do interior

Marcus Felipe Brito Castro, Nildes Pitombo Leite, Vivian Borges Scalfi, Maira Patricia da Silva, Anderson Alex de Assis Vieira
DOI: https://doi.org/10.5329/RECADM.20090802005

Texto completo:

Artigo

Resumo

O Comprometimento pode ser interpretado como vínculos entre pessoas e organizações e a natureza desses vínculos pode afetar o desempenho e resultados de ambos. O presente estudo, exploratório, de caráter qualitativo, tem como objetivo investigar os enfoques de comprometimento dos integrantes dos grupos PET – Programa de Educação Tutorial da Universidade de São Paulo – USP, da Capital e do Interior, comparando esses grupos em relação à predominância desses enfoques. Para desenvolver a análise foi utilizado o modelo tridimensional de Meyer e Allen (1991) com seus três enfoques de comprometimento: normativo, afetivo e instrumental, lembrando que uma pessoa pode apresentar os três, em maior ou menor grau. Os resultados encontrados indicam uma grande semelhança entre os enfoques dos grupos PET, sendo que o afetivo e o normativo apresentaram maior destaque nas amostras e, por serem enfoques que geram maior desempenho, contribuem para a perenidade e evolução do Programa. Ainda, o afetivo esteve relacionado principalmente aos objetivos, valores e metas, enquanto o normativo surgiu da valorização de esforço e obrigação.

 

 

 


Palavras-chave

Comprometimento Organizacional; Enfoques; Organização PET


Referências


ALBUQUERQUE, L. G. Estratégias de recursos humanos e competitividade. In: VIEIRA, M. M. F.; OLIVEIRA, L. M. B. (Orgs.). Administração contemporânea: perspectivas e estratégias. São

Paulo: Atlas, 1999.

BARDIN L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BASTOS, A. V. B. Comprometimento organizacional: um balanço dos resultados e desafios que cercam essa tradição de pesquisa.

Revista de Administração de Empresas, v. 33, n. 3, p. 52-64, maio/jun., 1993.

BASTOS, A. V. B. O conceito de comprometimento - sua natureza e papel nas explicações do papel humano no trabalho. Organizações & Sociedade, v. 1, n. 2, p. 77-106, 1994.

CHANG JR, J. Gestão de pessoas pelo desenvolvimento do comprometimento organizacional: uma abordagem holística e

simultânea dos determinantes envolvidos no processo. 2001. 192 f. Tese (Doutorado em Administração) - Faculdade de Economia,

Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

CHANG, JR.; ALBUQUERQUE, L. G. Estratégia de comprometimento em gestão de pessoas. In: CONGRESO LATINOAMERICANO DE

ESTRATEGIA, 15., 2002, Montevidéu. Anais... Montevidéu: SLADE, 2002.

DIAS, D. V.; MAESTRO FILHO, A. D. Valores organizacionais e comprometimento: um estudo em empresas do setor siderúrgico mineiro. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO DE

PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 32., Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2008.

DUTRA, J. Gestão de pessoas. São Paulo: Atlas, 2002.

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Artmed, 2004.

HAIR et al. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Bookman, 2005.

LEITE, N. R. P. Comprometimento e gestão de pessoas em empresas brasileiras com estruturas organizacionais remotas. 2008. 270 f. Tese (Doutorado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

MEDEIROS, C. A. F. Comprometimento organizacional, características pessoais e performance no trabalho: um estudo dos padrões de comprometimento organizacional. 1997. 108 f.

Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Rio Grande do Norte, 1997.

MEYER, J. P.; ALLEN, N. J. Testing “Side-bet theory” of organizational commitment: some methodological considerations. Journal of Applied Psychology, v. 69, n. 3, p. 372-378, 1984.

MEYER, J. P.; ALLEN, N. J. Links between work experiences

and organizational commitment during the first year of employment: a longitudinal analysis. Journal of Occupational Psychology, v. 61, p. 195-209, 1988.

MEYER, J. P.; ALLEN, N. J. The measurement and antecedents of affective, continuance and normative commitment to the organization. Journal of Occupational Psychology, v. 79, p. 1-18, 1990.

MEYER, J. P.; ALLEN, N. J. A three-component conceptualization of organizational commitment. Human Resource Management Review, v. 1, p. 61-89, 1991.

MEYER, J. P.; ALLEN, N. J. Commitment in the workplace:

theory, research and application. Thousand Oaks: SAGE, 1997.

O’REILLY III, C; PFEFFER, J. Talentos ocultos: como as melhores empresas obtêm resultados extraordinários com pessoas comuns. Rio de Janeiro: Campus, 2001

SELLTIZ, C. et al. Métodos de pesquisa nas relações sociais. São Paulo: EDUSP, 1974.

SESUMEC. Secretaria da Educação Superior do Ministério da Educação. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2009.

WALTON, R. E. Do controle ao comprometimento no local de trabalho. In: VROOM, V. H. Gestão de pessoas, não de pessoal. 11. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997. p. 95-112.

YIN, R. Estudo de caso: planejamento e métodos. São Paulo: Bookman, 2005.

ZAMBERLAN, C. O. Orientação para aprendizagem, gestão por competências e comprometimento organizacional nas

instituições de ensino superior. 2006. 124 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, 2006.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.